Secretaria de Segurança do Estado
Segunda, 26 Novembro 2018 17:33

Uneal repudia intimidação política

Professor da Universidade Estadual de Alagoas, em Arapiraca, estava sendo filmado e houve relatos de agressão no local

Escrito por Redação com Assessoria
Uneal repudia intimidação política Foto: Divulgação

Um dia após ter sido palco de cenas de agressão física entre um eleitor do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) e o ex-reitor Clébio Correia, a Universidade Estadual de Alagoas (Uneal), em Arapiraca, emitiu nesta quinta-feira (25) uma nota repudiando quaisquer atos de violência e intimidação política dentro do campus.

Conforme a nota, assinada pelo reitor Odilon Máximo, a universidade repudia qualquer ato que vise somente perturbar o desenvolvimento habitual das atividades acadêmicas, bem como qualquer ação que enseje constrangimento de qualquer indivíduo que ali esteja.

“Não serão tolerados atos de agressão ou de intimação, como o ocorrido, quando um homem não pertencente à comunidade acadêmica, entrou na universidade intimidando professores, estudantes e técnico-administrativos com palavras de baixo calão enquanto gravava a circulação das pessoas, sem nenhuma autorização prévia”, afirmou o reitor prestando solidariedade ao professor Clébio Correia.

De acordo com o que consta no Boletim de Ocorrência, registrado na Central de Polícia de Arapiraca, na noite de quarta-feira (25), o ex-reitor Clébio Correia afirmou que estava realizando um evento com o tema “Em defesa da Universidade e da Democracia”, quando, em uma livraria da unidade de ensino, foi abordado pelo seguidor do presidenciável Jair Bolsonaro e identificado como Jefferson Daniel da Silva Constantino.

Clébio negou que o evento era partidário, mas afirmou que a comunidade acadêmica tem a liberdade democrática para manifestar suas preferências ideológicas e políticas, uma vez que, segundo ele, havia pessoas com adesivos de suas preferências partidárias.

Ainda durante o depoimento na Central de Polícia, o ex-reitor disse que teria perguntado ao eleitor de Bolsonaro porque ele estava gravando um vídeo e pediu o telefone ao homem.

Nesse momento, os dois travaram uma discussão, Clébio conta que tentou pegar o telefone e foi atingido por uma joelhada na virilha.

Em sua versão, Jefferson Daniel negou a agressão e revelou que estava filmando a reunião que, para ele, seria um ato político dentro da universidade.

À Tribuna Independente, o reitor Odilon Máximo disse que não vê motivos para reforçar a segurança no campus de Arapiraca até o dia da eleição neste domingo (28). Por sua vez, o ex-reitor Clébio Correia salientou que vai continuar exercendo normalmente suas atividades acadêmicas na Uneal.

Primeiro Momento © 2013 - 2018 Todos os direitos reservados.