Dick denuncia
Sexta, 19 Janeiro 2018 14:45

Empate em uma estreia onde se esperava mais

Escrito por

O CSA largou na temporada 2018 com um empate contra o Sampaio Corrêa: 1 a 1 no Rei Pelé. Separando desempenho e resultado, o time azulino teve um resultado normal e um desempenho abaixo do que era projetado.

Após começar perdendo, o CSA foi buscar o empate. Criou alternativas, foi na empolgação e viu o goleiro Andrey fazer algumas boas defesas, até que Bruno Veiga finalizou com oportunismo. O resultado foi dentro de uma normalidade para o começo de temporada e para o nível do time enfrentado.

O desempenho do time do CSA foi abaixo da expectativa esperada. A equipe manteve a base campeã no ano passado, começou a trabalhar em dezembro e mostrou alguns problemas físicos, técnicos e por que não dizer táticos. Visivelmente, o CSA apresentou um estágio físico inferior ao que foi apresentado pelo adversário. Observei um Sampaio mais  inteiro na partida. Alguns jogadores do CSA ainda mostram dificuldades em termos de condição física. É preciso lembrar que o time azulino atingiu um outro patamar dentro da temporada.

No aspecto técnico alguns jogadores não estão bem. Difícil imaginar que o lateral Paulinho esteja em nível inferior a Rafinha, assim como Echeverria também esteja pior que Caique e até mesmo Cristiano esteja pior que Rodrigo Lobão.

No aspecto tático, o time do CSA veio com uma mudança de característica. Perdeu a velocidade que tinha como Edinho e optou por ter uma formação com mais posse de bola, com trocas de posições ao optar por Didira no time base. O CSA não funcionou assim e mesmo quando se assemelhou a característica do time do ano passado, a equipe não mostrou desenvoltura semelhante aquilo que o time campeão apresentava.

É claro que a avaliação é inicial e que poderá mudar bastante ao longo da temporada, mas ficou a impressão que o time não evoluiu e que o pior, perdeu aquilo que tinha de melhor no final da temporada passada.

O Jogo

Encaixe de marcação -individual – do Sampaio e CSA travado no 1º tempo: leitura de Francisco Diá – Imagem: TaticalPad-Marlon Araújo

 

A partida foi iniciada com Francisco Diá travando o time azulino com um 4-1-4-1muito bem definido e com execução forte. O volante César Sampaio (5) foi utilizado para jogar pelo corredor lateral esquerdo e marcar individualmente Didira (19), acompanhando inclusive nos deslocamentos para o corredor central. Projetou o lateral James para duelar na segunda linha de quatro com o lateral Celsinho repetindo a mesma coisa com Junior Rocha (2) em cima de Marcos Antonio. Neste caso, fazendo uma dobra de lateral com Bruno Moura, evitando ultrapassagem de Rafinha. Yure (ex-CRB) individualizou marcação em cima de Daniel Costa, com isso o CSA ficou travado. O time somente chegou com bolas paradas e com finalização de média distância, na melhor delas, Daniel Costa  finalizou com grande qualidade, mas Andrey fez uma linda defesa.

O Sampaio chegou ao gol em um erro na saída de jogo azulina, Reginaldo Júnior fez deslocamento para o lado, abriu espaço na defesa do CSA e deixou os zagueiros sem referência. Bruno Moura acompanhou a jogada desde o roubo da bola, atacou o corredor central em grande velocidade e surgiu no meio da área, como homem surpresa, para abrir o marcador.

CSA começou o segundo tempo um pouco melhor. Em três minutos criou mais chegadas que durante os 45 minutos iniciais. Mas o time melhorou desempenho a partir da entrada de Bruno Veiga. O time voltou a característica que se habituou a jogar, mas Veiga mostrou ser um jogador de velocidade, mas ainda longe do desempenho do antigo dono da posição ( Edinho) . Mesmo assim, o time azulino, criou, forçou Andrey a realizar algumas boas defesas. Até que chegou ao empate após uma bola alçada na área , onde o goleiro Andrey , chegou a ser tocado fora do lance e  Bruno Veiga marcou empatando. No abafa, o CSA quase consegue a virada em outra bola parada com Leandro Souza (3).

O craque da partida foi o goleiro Andrey (1-Sampaio). Marlon (10-Sampaio) foi o garçon e Francisco Diá foi o melhor treinador. O árbitro paraíbano Renan Roberto de Souza fez uma boa atuação e mostrou estar ‘voando’ no aspecto físico no início da temporada. Nota 8.

Primeiro Momento © 2013 - 2018 Todos os direitos reservados.