Dick denuncia
Segunda, 06 Julho 2020 20:25

Sociedade Organizada comenta sobre abertura do comércio em Maceió

Escrito por Redação com Assessoria
Sociedade Organizada comenta sobre abertura do comércio em Maceió Foto: Divulgação Zé Roberto Coordenador do Coletivo Maceió

Nessa segunda-feira (6), o coordenador do Coletivo Maceió Zé Roberto fez uma analise sobre a abertura do comércio na cidade de Maceió. A Organização da Sociedade Civil vem mobilizando moradores da capital, propondo soluções coletivas nesse período de pandemia.

Opinião por Zé Roberto

Para analisarmos o relaxamento que resulta na reabertura do comércio de lojas e outros estabelecimentos na cidade de Maceió, precisamos entender o que tem gerado tamanha pressão, especialmente dos setores de micro e pequenas empresas, junto aos governantes. De todas as ações protetivas oriundas do Congresso Nacional, o setor que menos foi atendido foi o do pequeno comerciante.

Na verdade, para esses empresários, foi oferecido mais endividamento, por meio de empréstimos e financiamentos. E mesmo assim, 80% de quem tentou acessar essa linha de crédito não conseguiu liberação. Não chegou a esse setor o dinheiro a fundo perdido, que efetivamente garantiria empregos e a capacidade de aguardar mais tempo em isolamento, para achatar a curva de contaminação.

Tomada essa decisão, certamente pagaremos o preço do contágio inevitável, ocasionado pela volta das aglomerações de pessoas. Vimos muitas cidades abrirem seus comércios, e assistirem tristemente ao crescimento do contágio, e ao consequente colapso hospitalar devido à falta de leitos de UTI.

Nesse item, também constatamos a inércia e má vontade do Governo Federal em atender aos governadores, sem municiar os estados com equipamentos adequados. Dificuldades para adquirir tais equipamentos existem? Claro que sim, pois a necessidade é mundial. Mas quem teve interesse em resolver o problema, conseguiu melhores resultados.

Resta-nos apostar em um processo de conscientização da própria população, no sentido de, se possível, não sair de casa. E, caso precisemos mesmo sair, que sigamos todas as orientações de segurança. A nós, cidadãos e cidadãs responsáveis, cumpre a tarefa de orientar e apelar ao nosso círculo de amizades que não façam adesão a essa correria às ruas.
 A sensatez ainda diz a cada um de nós: FIQUE EM CASA. O perigo de contágio ainda é muito grande."

Zé Roberto é aposentado do Banco do Brasil, coordenador do Coletivo Maceió, ex-negociador nacional do Banco do Brasil, ex-secretário estadual de Cidadania e Direitos Humanos, e ex-presidente do Complexo Turístico Costa do Sauípe.

 

Primeiro Momento © 2013 - 2018 Todos os direitos reservados.