Dick denuncia
Terça, 05 Maio 2020 17:34

Delegado fala sobre golpe do “falso” entregador e dá dicas para evitar ser vítima do crime

Golpe é feito quando um criminoso se passa por entregador, invade e assalta residências.

Escrito por Redação com G1
Delegado fala sobre golpe do “falso” entregador e dá dicas para evitar ser vítima do crime Foto: Divulgação

O delegado Thiago Prado, titular da Delegacia Especializada de Roubos da Capital (DERC), da Polícia Civil de Alagoas, faz um alerta, na manhã desta terça-feira (5), sobre a prática de um novo golpe onde criminosos estariam se passando por “falsos” entregadores com o objetivo de invadir residências e praticarem assalto. Ele esclarece que o golpe ainda não aconteceu em Maceió, e que foram registrados nas cidades do Rio de Janeiro e em São Paulo.

A iniciativa da autoridade policial é de caráter preventivo, pois ele foi procurado por pessoas indagando-o sobre um comunicado de um condomínio a respeito do fato, e aproveitou pra alertar a população para ficar ciente sobre esta nova modalidade criminosa e, caso venha a ser tentada em Maceió, as pessoas já tenham conhecimento e se previnam.

Thiago Prado disse que o golpe acontece quando o verdadeiro entregador é abordado por um assaltante, no trajeto do estabelecimento comercial até a casa da vítima. “O criminoso pega a moto do entregador, assim como a sua mochila, e ao chegar na casa do solicitante do pedido aborda e pratica o assalto, dentro da própria residência”, frisou.

Como prevenção, o delegado dá algumas dicas pra não se cair nesta armadilha, caso venha a ser vítima em nossa cidade. A primeira é observar sempre a origem da entrega, questionando por interfone ou por meio da própria porta (sem abri-la) qual seria a origem daquela entrega, pois muitas vezes o criminoso não saberá responder.

Outro ponto é conferir junto ao estabelecimento comercial o nome do entregador para que tal informação seja confirmada no momento em que o entregador chegar na casa do solicitante do pedido.
A terceira dica diz respeito ao fato que, residindo em prédio ou condomínio, não permitir que o entregador vá a porta do imóvel, utilizando-se do serviço de portaria para que o morador desça e lá faça o recebimento da encomenda, uma vez que abordado na porta do apartamento ou casa não terá tempo de reação, pois o criminoso já estará dentro da residência.

“Por fim, sempre que for receber uma encomenda deixar outra pessoa alerta para efetuar alguma ligação telefônica pra polícia, caso ocorra alguma intercorrência. Jamais vá receber esta encomenda sem que ninguém saiba o que tá se passando. Tomando esses cuidados com certeza você não será vítima desse tipo de crime”, finalizou Thiago Prado.

Primeiro Momento © 2013 - 2018 Todos os direitos reservados.