Secretaria de Segurança do Estado

Banner%5d Febre Amarela VerdadeMito-01

A transmissão de febre amarela se dá apenas por meio da picada de mosquito. Os macacos são, assim como os humanos, apenas hospedeiros do vírus e servem como indicador da presença da doença em uma região. Eles não devem, em hipótese alguma, ser mortos pela população. Caso um macaco morto ou doente seja encontrado, o cidadão deve informar ao serviço de saúde de sua cidade ou estado pelo telefone 136.

Banner Febre Amarela Verdade Mito-02

Apenas a picada dos mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes transmitem o vírus em áreas silvestres. Nas áreas urbanas, o Aedes aegypti (o mesmo que transmite dengue, zika e chikungunya) é o transmissor. Não existe contaminação entre humanos ou por meio de outro animal, como o macaco.

Banner Febre Amarela VerdadeMito-03

Desde 2017, o Ministério da Saúde segue a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) e indica apenas uma dose da vacina, válida por toda a vida. Mesmo durante surtos, não é indicado se vacinar mais de uma vez contra a doença, já que isso não vai deixar a pessoa mais protegida.

Banner Febre Amarela VerdadeMito-04

A vacinação fracionada apresenta, de acordo com o Ministério da Saúde, a mesma eficácia que a dose única padrão. A proteção é de, pelo menos, oito anos. O fracionamento é recomendado pela OMS quando há aumento na morte de macacos e de casos da febre amarela silvestre e risco de expansão da doença em cidades com índice populacional alto.

Banner Febre Amarela VerdadeMito-05

Divulgada em aplicativos de mensagem, a informação de que tomar própolis afasta os mosquitos é falsa. Para evitar as picadas, o recomendado é utilizar roupas de manga longa e repelentes liberados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), além de instalar telas de proteção em portas e janelas. Também se certifique de que não há água parada em casa, possível criadouro dos mosquitos.

Banner Febre Amarela VerdadeMito-06

A vacina é eficaz e segura. A vacinação não é indicada apenas para pessoas com alergia grave ao ovo; portadores de doença autoimune; crianças menores de seis meses; pessoas que vivem com HIV/Aids (com contagem de células CD4 menor que 350 células/mm3); e pacientes de quimioterapia/radioterapia.

Banner Febre Amarela VerdadeMito-07

A vacina não é indicada às gestantes, mas é preciso avaliar os riscos e benefícios junto ao serviço de saúde caso a mulher esteja em local com surtos, epidemias ou vá viajar para área com risco. Da mesma forma, mulheres que amamentam bebês maiores de 6 meses de idade podem ser vacinadas, dependendo do local onde estejam. Mães de bebês com menos de 6 meses devem evitar a vacinação.

Banner Febre Amarela VerdadeMito-08

Não há registro de febre amarela urbana no Brasil desde 1942. Moradores de áreas rurais ou mata, ou viajantes que pretendem visitar esses lugares, devem tomar a vacina.  

Em Cidades

Com a chegada do carnaval, época de festas tradicionais em todo País, muitas pessoas acabam exagerando e se expondo ao sol em excesso. E para garantir que a animação não traga consequências negativas, a dermatologista da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) Cleide Vieira recomenda que os foliões abusem do protetor solar e consumam muito líquido.

Isso porque, segundo Cleide Vieira, a exposição excessiva aos raios solares podem trazer sérias consequências, encerrando prematuramente a festa ou deixando o folião doente após o feriadão.

“As altas temperaturas podem levar a casos de desidratação, ocasionando sintomas como tonturas, perda de sentido e vômitos. A desidratação pode ser grave, principalmente em crianças e idosos”, explicou.

Cleide Vieira ressaltou que o consumo em excesso de bebidas alcoólicas também pode contribuir para a desidratação do organismo. “Deve-se consumir água. As bebidas alcoólicas passam uma falsa sensação de hidratação. A sede passa, mas o corpo não está devidamente hidratado. Por isso, é importante o consumo de água regularmente”, alertou.

Alimentação

Outra recomendação importante é sobre a alimentação saudável. A médica lembrou que frutas e legumes devem ser consumidos durante os festejos. “Uma alimentação balanceada ajuda a dar mais energia e pode diminuir os efeitos danosos do álcool, que geralmente é consumido nesta época”, destacou.

Outro alerta importante feito pela médica da Sesau diz respeito ao cuidado dos banhistas em locais desconhecidos. “Existem muitos casos de afagamento em que turistas decidem se banhar em regiões que não estão familiarizadas. É sempre importante buscar informações sobre os locais próprios para o banho”, reforçou.

Cleide Vieira salientou, ainda, a importância do uso do protetor solar para prevenção de problemas graves, a exemplo das queimaduras. Mas além do ardor na pele, os foliões desavisados podem terminar a folia de momo com manchas na pele, envelhecimento precoce e, principalmente, câncer de pele.

“É necessário evitar a exposição ao sol entre as 10h e 15h, além de utilizar protetor solar que tenha, no mínimo, fator 30. O protetor deve ser reaplicado a cada duas horas e sempre que houver contato com a água”, orientou a dermatologista.

Em Cidades

A Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal) abriu inscrições, nesta sexta-feira (26), para o curso preparatório MedEnsina. São ofertadas 100 vagas para estudantes que concluíram ou estão concluindo o ensino médio em escolas da rede pública, da rede particular (na condição de bolsista integral), da Educação de Jovens e Adultos ou de supletivos.

Os interessados devem se inscrever até o dia 23 de fevereiro, por meio do endereço eletrônico https://www.doity.com.br/selecao-medensina2018.

O processo seletivo será composto por uma prova com 50 questões de múltipla escolha, de caráter eliminatório e classificatório. A prova será baseada nos conteúdos correspondentes à grade do ensino médio, divididos em quatro eixos do conhecimento: Linguagens e suas tecnologias, Matemática e suas tecnologias, Ciências da Natureza e Ciências Humanas.

A prova deve ser realizada a partir das 8h do dia 25 de fevereiro, no prédio-sede da Uncisal, que fica no Trapiche da Barra, em Maceió. Segundo o edital, se a quantidade de inscritos ultrapassar o número de acomodações existentes, será disponibilizado mais um local para a aplicação da prova, que deverá ser divulgado por meio do site da universidade (www.uncisal.edu.br).

O resultado do processo seletivo será divulgado no dia 2 de março, observando os seguintes critérios: 80 vagas serão destinadas para alunos de escolas públicas; 10 vagas serão reservadas para funcionários e filhos de funcionários da Uncisal; e outras 10 vagas reservadas para alunos bolsistas integrais em escolas particulares.

De acordo com o pró-reitor de Extensão da Uncisal, George Souza, a grande novidade do projeto este ano é a maior oferta de vagas. “Nós decidimos dobrar o número de vagas, na comparação com o ano passado, porque reconhecemos a importância do programa para a comunidade. Esse é um projeto que deu certo e que merece ser ampliado”, explica o gestor.

MedEnsina

O MedEnsina é um projeto de extensão Uncisal que consiste em um curso pré-vestibular destinado a estudantes que concluíram ou estão concluindo o ensino médio em escolas da rede pública e da rede particular (na condição de bolsista integral).

Em Cidades
Primeiro Momento © 2013 - 2018 Todos os direitos reservados.