Como parte dos 200 anos de AL, coco de roda inicia primeiro festival neste sábado (24)

Folguedo alagoano é considerado uma das danças mais tradicionais da cultura no Estado

Onde se canta o coco o salão estremece. Seja no trupé, na alegria do cantar ou na exuberância das vestimentas, o coco de roda alagoano deixa sua marca por onde passa. Na última quarta-feira (21), o Museu Palácio Floriano Peixoto (Mupa) foi palco de encontro de 16 grupos de coco de roda. Os integrantes foram recebidos pela secretária de Estado da Cultura, Mellina Freitas, e o governador Renan Filho, além do secretário de Comunicação, Ênio Lins.

Com apoio do Governo de Alagoas, 1° Festival de Coco de Roda do Estado também celebra o Bicentenário de 24 a 29 de junho. Thiago Sampaio

Folguedo alagoano, considerado um das danças mais tradicionais da cultura no Estado, o coco de roda sentia a carência de mais incentivo e espaço na sua terra. Pensando nisso, o Governo de Alagoas, através da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), realiza de 24 a 29 de junho o 1° Festival de Coco de Roda de Alagoas.

“Foi uma grande iniciativa”, comenta o vice-presidente da Liga dos Cocos de Roda de Alagoas (Licoal), Murilo Santos. “Estamos muito ansiosos, até por que esperávamos há muito tempo por essa oportunidade. Nós saímos do gancho da quadrilha juninas, pois só fazíamos eventos nas sombras desses festejos. Esse festival é muito especial, espero que todos venham nos prestigiar”, completou.

A grande expectativa do festival rodeia os grupos participantes, que, na maioria das vezes, conhecem a dança em projetos de escolas ou através de familiares, como herança.  “Conheci o coco na escola, em um projeto. Comecei a dançar e não parei mais, me apaixonei. Hoje sou marchador do Grupo Raro Xodó”, conta Jobson Silva, que está envolvido no coco de roda há 17 anos. “A realização desse festival é fundamental para a nossa cultura. Nós sentíamos essa carência. Espero que o Governo dê continuidade a esse projeto, pois a expectativa é muito grande, tenho certeza de que esse será um dos melhores festivais dos últimos anos”.

O Festival também recebe grupos recém-formados. “Esse é o único grupo de coco participante do festival que existe há tão pouco tempo. O Águia de Fogo é formado por moradores do Vila Emater. O coração está a mil, todos os dançarinos nunca tiveram experiência em outros grupos. Para nós está sendo uma grande oportunidade”, relata o dançarino Rafael Barbosa.

Para a secretária Mellina Freitas, a realização do 1° Festival de Coco de Roda de Alagoas no ano do seu Bicentenário é mais do que especial. “Não poderíamos deixar de apoiar esses grupos de dança que representam perfeitamente a cultura do nosso Estado. O coco de roda mostra a força e as raízes de Alagoas. Temos certeza de que, juntos, faremos uma grande festa”, ressalta a secretária.

Para ficar por dentro de toda a programação do Festival, acesse o site www.cultura.al.gov.br

Tags: Notícias, Maceió, Cultura em Alagoas, Agenda Cultural

Email

Boletim Informativo

Ao clicar em inscrever a página será atualizada!
Nunca enviaremos SPAM!

Curta no facebook!